26 de março de 2010

O Mal-amado...



"Mal amado é? Humpf!"


Francamente espelho meu, porque me sinto assim tão desconfortável?
Acho isso tão estranho, mas confesso que o que me incomoda mais, não é o meu desconforto em si, mas o conforto dos outros.
Mal-amado é? Meu cú!
Vejo tantos homens, com tantas formas diferentes desfilando por aí dentro de seus corpos, ajustados, confortáveis, com movimentos leves, seus pés sequer tocam o chão.
Se olham no espelho, e gostam daquilo que vêem lá dentro, ou pelo menos não se importam tanto.
Se ao menos este meu desconforto fosse algo mais coletivo, eu me sentiria um tanto melhor.
Não entendo ainda o que se passa comigo, porque me sinto assim tão desconfortável, sempre insatisfeito, sempre desviando o olhar do espelho, ou olhando fixamente para ver se algo mudou, uma mudança milimétrica ja estaria de bom tamanho.

" Ai doutor, to muito gordo, to parecendo um rinoceronte amestrado!"


Mas não, não acontece porra nenhuma, é sempre o mesmo tonto me olhando de volta.
Estou por aí sempre querendo me diminuir, sempre me aquietando, quando de fato deveria estar verbalizando, passando vontade e depois me arrependendo, quando o mais fácil teria sido ao menos tentar, passando fome quando a minha vontade era de me esbaldar, comer e comer por mim, pela Etiópia e pelam torcida do Corinthians, ficando sóbreo quando queria me embriagar.
Pro inferno todos eles, se é que de fato existe um "eles".
Quem é que vive por detrás destas pupilas, e faz todos estes (pré)julgamentos? Quem é que deseja? Quem é que proibe? Quem lhe diz o que é bonito? E o que é feio? Quem sofre no final? E por quem?
Roberto, meu caro, lhe darei dois conselhos para você levar por toda a sua vida:

1° Escute apenas a si mesmo.
2° Jamais escute a si mesmo.

Entenderam?
Nem eu.

"Mas nem pagando, os bofes tão me querendo!"


Andei aqui pensando mais um pouco sobre este lance de ser o mal-amado, a persona non grata, o vilão da novela do Manuel Carlos que quer destruir a pobre (Leblon? Pobre? Ahãm Claudia, senta alí...) e voluntariosa Helena.
e ja que a carapuça me serviu muito bem, e estou contente com este meu papel de mal-amado, aí vai mais uma revolta, ou várias revoltas tudo junto e misturado:
Os casais.
É claro que existem dias em que acordamos querendo ser uma mistura de Madonna, e Bradd Pitt, e nos frustramos quando vemos que estamos mais pra Geisy Arruda misturada com Netinho, mas não tem problema, é normal acordar 20%, achando tudo uma grande palhaçada, sem paciência, sem porra nenhuma.
Por exemplo, eu nunca fui convidado pra uma festa que tivesse pilhas, e mais pilhas de Ferrero Rocher, o que me causa uma grande revolta. Eu também nunca ganhei um Ovo de páscoa de um pseudo-namorado, ficante ou tico-tico-no-fubá que tive, nem um ovo desses chocolates de guardachuvinha, o hidrogenado.


" Doutor, me veja uma fórmula,
um moderador de apetite de elefante, um veneno, qualquer coisa!"


Fora que utimamente tem acontecido um Poltergeist na minha vida, verdade. Um Alienígena filho-da-puta que não tem nada de fofo como no filme E.T., entrou na minha casa durante a madrugada e desregulou a minha balança, só pra rir com a porra dos amigos et's dele, lá no bairro dele em Marte, ou na puta que pariu, olhando pra minha cara de babaca ao constatar que do dia pra noite contrariando todas as leis de Newton e o caralho a quatro, eu engordei 5kgs, numa espécie sádica de Big Paspalho intergalático.
(Bem, pelo menos essa é a minha teoria pro mistério da balança desregulada que ronda a minha vida.)
E ainda tem gente que pergunta:
- Desde quando você faz regime?
- Desde que sou gordo caralho!

Agora me fala se depois de tudo isso, de tanta insatisfação, eu sou obrigado a encarar duas horas dentro de uma lotação literalmente lotada, pra chegar até a minha faculdade pensando no porre de aula lazarenta que vai ser aquela cheia de pseudo-filósofos querendo aparecer um mais que o outro, citando frases famosas de ilustres desconhecidos, e dizendo que Van-Gogh era conhecido SIM em sua época, mesmo que em vida o desgraçado não tenha vendido sequer um quadro!!!
Enfim, minha mente dentro da lotação ja vai matutando tudo isso quando olho pro lado e tem dois panacas se catando, e não é aquela catação periguete não, os filhos da puta tem a cara de pau ainda de ser romanticos.

PUTA MERDA! ASSIM VOCÊS ME FODEM!!!

"Ai, vou tomar um Baygon, o Baygon sempre ajuda nessas horas dificeis!"


Olhinhos brilhantes, juras de amor, mãos bobas, aquela carinha de tapada, aquela carinha de futuro pai de familia, aquelas vozes afetadas como se estivessem conversando com uma criança da Apaee, aqueles apelidos tontos, esses dois imbecis formam uma raça que desprezo:
Os casais.
E é nesses momentos, que eu renuncio ao meu paganismo, e clamo a Jeovah, a @Ocriador, e até a @Nossa_senhorita num momento de profunda fé e devoção cristã, que eles enviem mais um dilúvio para que então uma Arca 2.0 leve todos os casais embora da minha vista, e deixassem mais uma vez só os solteiros se acabando na chuva aqui do lado de fora.
(Sou paulistano, estou acostumado com chuva!)

"- Esse Baygon tá mais parecendo água-de-xuca!"


Droga, acabei de voltar da padaria onde comprei uma vodka, e todo mundo ficou me olhando torto, só porque nem são dez da manhã ainda. CARALHO, quer dizer que não posso beber?
Ainda o guardinha da guarita do meu prédio disse:
- Mas ja foi bebê?
Numa demonstração crônica de uma intimidade que nunca havia lhe dado.
Dei um sorrisinho amarelo pra ele, mas minha vontade mesmo era ter sido malcriado e respondido:
- Ja fui bebê, ja fui criança, e agora sou adulto!
Meu cú! Preciso de duas coisas, um cigarro e uma boa desculpa pra parar de escrever bobagens e ir cuidar da minha vida...
O cigarro ja está aqui, e como boa desculpa por enquanto eu não tenho, ja que minha vida não anda muito lá essas coisas, vou inventar uma, e vocês façam de conta que acreditaram e somos todos felizes para sempre:





Galera, uma olvelhinha acabou de cair
dentro de um lago aqui perto,
e está encolhendo,
vou lá salvar ela!!!





Beijos sinceros de um homem mal-amado.

hehe


6 comentários:

  1. Ah meu Deus!
    Devia ter imaginado que eu não era a única a acordar assim frequentemente!
    Beto, vc é hilário!
    Beiejos ♥

    ResponderExcluir
  2. -

    chora mais, viado.
    drama queen mode on, né?

    mas sempre com o mesmo brilho! (:
    isso que me deixa feliz em vir auqi.

    ;*

    ResponderExcluir
  3. Nem me avisa que tinha atualizado o blog, neh?! Vim aqui como quem não quer nada e descubro dois posts!!! ... rsrsrs.
    Pois bem, Beto, eu nunca imaginei que você se sentisse duma forma tão semelhante ao modo como me sinto. Você deve ser muito forte, porque não aparenta nem sequer estar perto de desabar.
    Porém, eu nunca usei esse termo para me auto-designar. Mal-amado soa tão cruel. E é assim que eu vivo descrevendo uma enorme quantidade de individuos mal educados com quem me bato. Mas juro que sou um amor de pessoa. Sou o tipo de cão que ladra mas não morde. Quando fico zangado, falo, falo e falo pelos cotovelos, reclamo que nem Jó aguenta. Mas não faço maldade com uma mosca.
    Também passei a odiar espelhos, mas, como uma maldição, não posso viver sem eles. Não consigo passar um dia sem apontar todos os meus proprios defeitos, erros, assimetrias, é deprimente. Nos corredores da faculdade eu fico caçando meu reflexo nas janelas e vidros que protegem os murais na parede, só pra jamais esquecer que eu não posso ter um ego...
    Quanto aos casais, bem, às vezes é torturante. Sinto um pouco de inveja, aliás, muito inveja. Porém sinto mais inveja dos solteiros muito felizes com sua solidão voluntárias, felizes com seus reflexos nos espelhos da vida. Eu meio que me sinto indesejado, mas é algo mais que óbvio. Eu fui cair num antro de estátuas de Apolos e Davis de Michelangelo (só que com dotes aparentemente maiores, rs).
    Eu acordo todos os dias e penso nas pessoas que verei, nos casais que verei e nos espelhos nos quais me verei e isso já é o suficiente pra que eu não acorde com o pé direito.
    Estou insatisfeito comigo mesmo, e quanto menos como mais engordo (isso contradiz as leis da física, é impressionante), e cada vez que como choro e me lamento. Não bebo, não fumo e não fo* (oops).
    Enfim, Beto... sobrevivemos. Eu nem sei porque motivo fiz todos esses comentários pessimistas, comparações desnecessárias. Acho que você me deu um espaço pra desabafar. Então, deixando de lado meu lado que só sabe chorar, sofrer e se lamentar (não necessariamente nessa ordem), tenho a obrigação de lhe dizer que como seu amigo, exigo que você me use (no bom sentido), como ombro pra chorar, suporte e tudo mais no qual eu puder (ou melhor, quase tudo) lhe ajudar. Super-hiper-mega-master-blaster-plus-advanced-beijo!!! Seu amigo de hoje e sempre, Léo! ^^

    ResponderExcluir
  4. Oiii...
    Gostei muito de seu blogger, espero sua visita no meu...
    Com certeza o seu é bem melhor que o meu, mas...

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. todo mundo tem o seu momento bad-trip..... ja acordei para ir em uam festa super incrivel, me olhie no espelho e voltei pra cama.... deve ser coisa de hormonio, só pode ser!

    mas calma, o convite para a festa incrivel esta feita e agora só precisa colocar uma lente correta para ver o mundo de uma forma melhor... até as barbies sofrem, te garanto.

    ResponderExcluir